2ª Convenção Internacional de Comércio e Normas Voluntárias de Sustentabilidade
Programação


Confira aqui a programação.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável reconhece o comércio internacional como uma ferramenta para crescimento econômico inclusivo e redução da pobreza. Normas Voluntárias de Sustentabilidade (NVS) podem apoiar não somente a qualidade dos produtos, mas considera também que os aspectos sustentáveis de processos produtivos podem atuar de forma chave para que os exportadores em países em desenvolvimento acessem novos mercados. Isso devido ao imenso potencial que essas normas de sustentabilidade podem alcançar quando estiverem lidando como os muitos problemas que infestam nossa realidade sócio econômica, catalisando assim, os resultados positivos para o crescimento econômico induzido pelo comércio, conservação e proteção ambiental e desenvolvimento social.


Entretanto, existem muitas outras questões relacionadas ao acesso a mercados que serão trazidas a luz, uma das quais está associada com pequenos e médios produtores e empresários de países em desenvolvimento, onde os governos não possuem capacidade técnica, financeira e institucional capaz de colher os benefícios econômicos das normas voluntárias de sustentabilidade. No momento, 500 NVS operam em 199 países, em 25 setores industriais. O sistema das NVS tornou-se a nova realidade de mercado como uma ferramenta de marketing, competitividade e gestão das cadeias de valor. Assim, fomentar cadeias de valor sustentáveis pode propiciar um enorme impacto positivo, não somente sobre processos produtivos e operacionais inteiros, mas também assegurando a inclusão de pequenos produtores e como um importante componente para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis.


A Convenção em 3 dias tem como objetivo melhorar o diálogo sobre Normas Voluntárias de Sustentabilidade entre as partes interessadas e coletivamente construir soluções para lidar com os desafios e as oportunidades decorrentes das NVS. Os primeiros dois dias cobrirão temas chaves como os desafios das NVS em cadeias globais de valor, a transparência das NVS, o papel das Plataformas Nacionais para promover o arcabouço colaborativo das NVS e abordagens para o reconhecimento mútuo das NVS, enquanto no terceiro dia (liderado pelo Inmetro e para convidados) terá como foco transformar o diálogo realizado durante a convenção em ação.


 

  • .


  • .