Inmetro é parceiro da indústria na promoção de métodos alternativos ao uso de animais em ensaios toxicológicos

O diretor de Metrologia Aplicada às Ciências da Vida, José Mauro Granjeiro, e a pesquisadora Luciene Balottin participaram, na última segunda-feira (09/09), da inauguração da Episkin, empresa do grupo L'Oréal especializada na produção de pele humana reconstruída, usada para testes toxicológicos em substituição à utilização de animais.

A unidade irá fornecer os tecidos humanos reconstituídos para o mercado brasileiro, principalmente laboratórios acreditados ou reconhecidos pelo Inmetro que realizam testes de segurança com substâncias químicas em geral. Estão incluídos brinquedos, materiais escolares, cosméticos, agrotóxicos e outros produtos relevantes para a saúde humana.

O Inmetro, um dos laboratórios centrais da Rede Nacional de Métodos Alternativos (Renama), atua na implementação e disseminação dos métodos alternativos desde 2012. A L'Oréal faz parte do Consórcio Renama, coordenado pela pesquisadora Luciene Balottin, e desde 2016 tem disponibilizado treinamentos com a finalidade de implementar esta metodologia da Episkin em laboratórios associados à Rede. 

Já tendo treinado mais de 200 pesquisadores e técnicos de empresas, universidades e centros de pesquisa do Brasil e de outros países da América do Sul, a Plataforma Regional de Métodos Alternativos do Mercosul (PReMASUL), também coordenada por Balottin, conta com a participação da L'Oréal /Episkin em treinamentos nacionais e internacionais. Um exemplo é a capacitação realizada no Instituto Pasteur, em Montevideo/Uruguai, que somente foi possível com esta importante parceria. 

A inauguração da Episkin acontece no mesmo mês em que encerra o prazo dado pelo Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea) para redução, refinamento e substituição do uso de animais em pesquisas científicas, a partir da adoção de metodologias validadas e aceitas pela OCDE.

“A disponibilização da pele produzida por bioengenharia representa para o Brasil a possibilidade de atender os regulamentos do Concea e de avaliar produtos quanto ao risco de irritação e corrosão da pele sem o uso de animais, promovendo a superação de barreiras técnicas”, explicou o diretor José Mauro Granjeiro. A União Europeia, por exemplo, desde 2013 proíbe a venda, em seu território, de produtos cosméticos testados em animais.

Durante a cerimônia, a presidente da L'Oréal Brasil e a CEO da área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da empresa destacaram a importante participação do Inmetro no processo de implantação da Episkin no Brasil.