Inmetro realiza o primeiro Ensaio de Proficiência nacional de laboratórios forenses

O Inmetro deu início aos Ensaios de Proficiência nos laboratórios da Polícia Federal, um estudo qualitativo que vai permitir traçar um diagnóstico para comprovar a capacidade de detectar a presença de substâncias ilícitas e adulterantes em amostras de drogas. Cada um dos 35 laboratórios da PF receberá do Inmetro quatro ampolas contendo substâncias não identificadas, para realização dos ‘testes às cegas’.

Esta ação se soma a outras já realizadas pelo Inmetro em colaboração com a Polícia Federal, como a produção de Materiais de Referência Certificados de drogas de abuso. “O primeiro lote entregue à PF contém mil unidades de Material de Referência Certificado (MRCs) que, se fossem adquiridas no exterior, custariam R$ 5,4 milhões. O custo da produção no País foi R$ 475 mil, o que equivale a menos de 10% do valor de importação”, destaca Rodrigo Borges, pesquisador em Química Forense do Inmetro.

Os laboratórios de Química Forense e Genética Forense do Instituto Nacional de Criminalística da PF já são acreditados pelo Inmetro, segundo a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025, que requer do laboratório acreditado sua participação em Ensaios de Proficiência. Os ensaios de proficiência nos laboratórios da Polícia Federal estão sendo coordenados pela equipe do Laboratório de Química Biológica (Lqbio), da Diretoria de Metrologia Aplicada às Ciências da Vida (Dimav) do Inmetro.