Perguntas frequentes

Perguntas encontradas: 907

De acordo com o item 3 do Art. 1° da Resolução Conmetro n° 12 de 1988, alterado pela Resolução Conmetro n° 4 de 2012, o INMETRO é o órgão encarregado pelas modificações e atualizações do Quadro Geral de Unidades de Medidas. Esta resolução encontra-se no link: http://www.inmetro.gov.br/legislacao/

Preencha  número e ano da Portaria / clique em pesquisa / clique no item "íntegra."


Solicitamos  entrar em contato com a representação do INMETRO no seu estado. A lista das representações encontra-se disponível no site do INMETRO no link:https://www4.inmetro.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/localizacao.


Solicitamos entrar em contato com a representação do Inmetro em seu estado (IPEM, exceto RS e GO) onde poderá obter a lista das empresas autorizadas que realizam conserto e manutenção em balança. A lista das representações encontra-se no link: https://www4.inmetro.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/localizacao

O Inmetro também disponibiliza o Portal de Serviços do Inmetro nos Estados onde é possível realizar a pesquisa das empresas autorizadas a realizar o conserto e reparo no link: https://servicos.rbmlq.gov.br/Default.aspx 



Solicitamos entrar em contato com o representante do Inmetro (IPEM, exceto RS e GO)  em seu estado. A lista das representações encontra-se disponível no link: https://www4.inmetro.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/localizacao/por-estados

O Inmetro também disponibiliza o Portal de Serviços do Inmetro nos Estados onde é possível realizar a pesquisa das empresas autorizadas a realizar o conserto e reparo no link: https://servicos.rbmlq.gov.br/Default.aspx

Sugerimos também consultar a Portaria Inmetro número 065, de 28/01/2015 (alterada pelas Portarias Inmetro 316/2015 e 386/2015) que estipula as condições a que devem satisfazer as sociedades mercantis ou comerciais e firmas individuais interessadas na atividade de conserto e manutenção de medidas materializadas e instrumentos de medição no link: http://www.inmetro.gov.br/legislacao/ 


O Edital aprovado pela Portaria Inmetro n° 171/2018 apresenta os critérios a serem atendidos pelas empresas que desejam obter a autorização para prestação do serviço de Arqueação de Tanques. Para obter a autorização, é preciso solicitar a abertura de um processo de autorização, que consiste em:

1. Análise Completeza da Documentação

2. Abertura de Processo

3. Análise Técnica da Documentação

4. Auditoria

5. Pós Auditoria

6. Cobrança de Custos

7. Publicação de Autorização

Para obter maiores informações sobre o serviço de Arqueação de tanques e regulamentação técnica em vigor, entre em contato pelo e-mail arqueacao@inmetro.gov.br ou pelos telefones (21) 2679-9109 e 2145-3414.


A relação das empresas autorizadas pelo Inmetro para a realização dos serviços de Arqueação de Embarcações pode ser consultada no site do Inmetro. Para acessar, basta clicar no link http://www.inmetro.gov.br/metlegal/servicoArqueacao.asp

O custo para o serviço de Arqueação de Embarcações é estipulado com base na tabela de preços de serviços metrológicos, aprovada pela Portaria Interministerial n° 44/2017. A tabela está disponível no link a seguir:

http://www.fazenda.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/portarias-interministeriais/2017/arquivos/portaria-interministerial-no-44-de-27-de-janeiro-de-2017.pdf
 


Informamos que a relação dos produtos considerados perigosos poderá ser obtida através Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, disponível no endereço: www.antt.gov.br 


Solicitamos entrar em contato com os organismos de certificação de produtos ou de verificação de desempenho acreditados pelo Inmetro, responsável pela avaliação de lentes para óculos de proteção solar no link: http://www.inmetro.gov.br/organismos/index.asp 


A lista dos produtos que possuem avaliação da conformidade voluntária encontra-se disponível no site do INMETRO no seguinte endereço: www.inmetro.gov.br / item Qualidade / Regulamentos Técnicos e Programas de Avaliação da Conformidade de Produtos, Serviços, Processos e Pessoas/ Item Voluntários ou pelo link: http://www.inmetro.gov.br/qualidade/rtepac/voluntarios.asp 
 


A lista dos produtos que possuem avaliação da conformidade compulsória encontra-se disponível no site do INMETRO no seguinte endereço: www.inmetro.gov.br / item Qualidade / Regulamentos Técnicos e Programas de Avaliação da Conformidade de Produtos, Serviços, Processos e Pessoas/ Item Compulsórios ou pelo link:http://www.inmetro.gov.br/qualidade/rtepac/compulsorios.asp 


O Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular tem como propósito permitir que os consumidores comparem a eficiência energética dos veículos de uma mesma categoria para uma escolha consciente, além de fornecer informações sobre o consumo de combustível dos veículos leves comercializados no Brasil.

A Etiqueta Nacional de Conservação de Energia criada em 2009, afixada de forma voluntária nos modelos participantes, e as tabelas publicadas nos sites do Inmetro e Conpet informam ao consumidor sobre:

• a classificação do veículo quanto à eficiência energética em sua categoria; e

• os valores de referência da quilometragem por litro, na cidade e na estrada, com diferentes combustíveis.

Esses valores de referência são obtidos a partir de medições de consumo efetuadas em laboratório, de acordo com os padrões NBR 7024. Para tanto, combustíveis padrão brasileiros e ciclos de condução pré-estabelecidos são utilizados.

As medições laboratoriais normatizadas são a forma ideal para a aferição da eficiência energética dos veículos, independentemente do laboratório utilizado. Permitem que todos os modelos sejam testados de forma padronizada, em condições controladas, garantindo que as medições possam ser repetidas sob as mesmas condições e utilizadas em uma comparação uniforme entre modelos de veículos diferentes, dentro de uma mesma categoria.

Contudo, em condições reais de uso do veículo, diversos fatores influenciam o consumo percebido pelo motorista, podendo apresentar consideráveis variações em relação àqueles obtidos nas medições laboratoriais nas condições-padrão. Para aproximar os valores de referência àqueles percebidos pelos motoristas em seu uso real, mantendo a comparação relativa entre os veículos, o Inmetro decidiu adotar fatores de ajuste para o Programa desde 2010, a exemplo da evolução deste tema nos EUA, conduzida pela Agência de Proteção Ambiental (EPA).

Vale enfatizar que o consumo de combustível varia de motorista para motorista, por uma grande variedade de razões, tais como a maneira de dirigir, as condições climáticas, padrões de tráfego, uso dos acessórios (especialmente o ar condicionado), as cargas impostas ao veículo, o tipo e a pressão dos pneus, o tipo de solo, o estado de manutenção e a forma de medir a quantidade de combustível consumida (nivelamento do veículo, cuidado ao determinar o nível do tanque), entre tantos outros.

Quando diferentes motoristas dirigem um mesmo veículo, eles obtêm consumos diferentes conforme as variações das condições indicadas acima, de forma que não existe um “método perfeito” que assegure a medição precisa do consumo de combustível no mundo real para todos os consumidores. Com qualquer estimativa, sempre haverá consumidores que obterão melhor ou pior resultado nos seus casos particulares.

Portanto, o essencial é medir o consumo do veículo em condições padronizadas e repetitivas, sempre iguais para todos os modelos, para permitir uma comparação justa em termos relativos, como permitem os testes laboratoriais, ajustando-os a valores que se aproximem estatisticamente daqueles do mundo real.

Os fatores de ajuste ora adotados foram desenvolvidos pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos a partir de milhares de dados reais e indicam que 90% dos usuários conseguem resultados dentro de mais ou menos 20% dos consumos declarados.

Esses fatores procuraram contemplar condições mais reais de utilização dos veículos que hoje também são observadas no Brasil, como: estilos de direção mais agressivos, trânsito mais congestionado, maior velocidade nas estradas, maior uso do ar condicionado etc.

Os valores medidos nos ensaios de laboratório em condições padronizadas pela NBR 7024 continuarão sendo utilizados para comparação e classificação da eficiência energética dos veículos em cada categoria, rigorosamente de acordo com os padrões internacionais de condução do veículo para medição de consumo.

Finalmente, é importante reforçar que, a falta de manutenção, pneus descalibrados, direção agressiva com acelerações e frenagens bruscas, trânsito muito congestionado, velocidade elevada, combustível inapropriado, condições climáticas ou condições adversas da via, excesso de peso etc., podem causar expressivo aumento do consumo de combustível, inclusive em até mais do que 20%.


Em decorrência da pandemia do Coronavírus (COVID-19), o Inmetro publicou a Portaria Inmetro 107 em 26/03/20 que posterga os prazos de validade ou de vencimento de todos os Certificado de Inspeção Veicular (CIV, CIPP, CCT, do Selo Gás Natural Veicular, do Relatório Técnico de Requalificação do Cilindro para Gás Natural Veicular e da Etiqueta de Garantia Autoadesiva dos Extintores de Incêndio manutenidos) pelo período de 30 (trinta) dias. Para os certificados, Relatório, Etiqueta e Selo Gás já vencidos, o prazo de 30 (trinta) dias conta a partir de 26/03/20 e para aqueles ainda a vencer, os 30 (trinta) dias contam a partir de seu vencimento.

Esta portaria está disponível em http://www.inmetro.gov.br/legislacao/detalhe.asp?seq_classe=1&seq_ato=2630

 


Informamos que a acreditação de laboratórios é de natureza voluntária e acessível a qualquer laboratório que realize serviços de calibração e/ou de ensaios, em atendimento à própria demanda interna ou de terceiros, independente ou vinculado a outra organização, público ou privado, nacional ou estrangeiro, independente do seu porte ou área de atuação.


Solicitamos acessar o link: https://www4.inmetro.gov.br/acreditacao/servicos/acreditacao, onde encontram-se disponíveis todas as informações sobre o processo de acreditação de laboratório.


Filtro